Desenvolvimento Ágil x Tradicional – Resultados (Sucessos)

(atualizado em: 08/01/2007) Resultados do Desenvolvimento Tradicional Desde 1994, o Standish Group International publica a cada dois anos um estudo intitulado de Chaos Research [STANDISH, 2001] que consolida as informações de uma grande pesquisa sobre sucessos e fracassos dos projetos de software (figura 2.4). Neste estudo, os resultados dos projetos são enquadrados em uma das … Continue lendo Desenvolvimento Ágil x Tradicional – Resultados (Sucessos)

Anúncios

Auto-semelhança (Princípio – 4)

Deve-se tentar aplicar a estrutura de uma solução para outros contextos, mesmo em escalas diferentes. É algo semelhante a proposta de padrões de projetos (Design Patterns) descrita por Gamma [GAMMA, 1995], onde estruturas de soluções eficientes para problemas freqüentes foram catalogadas para facilitar o reuso. Por exemplo, uma prática básica na XP é escrever os … Continue lendo Auto-semelhança (Princípio – 4)

Introdução ao Desenvolvimento Ágil

  1. Introdução Desenvolver software é uma atividade difícil e arriscada. Segundo as estatísticas, entre os maiores riscos estão: gastos que superam o orçamento, consumo de tempo que supera o cronograma, funcionalidades que não resolvem os problemas dos usuários, baixa qualidade dos sistemas desenvolvidos e cancelamento do projeto por inviabilidade. No conceito tradicional, metodologia de … Continue lendo Introdução ao Desenvolvimento Ágil

2. Desenvolvimento Guiado por Testes (TDD)

Uma prévia das modificações que estão sendo feitas em 2. TDD. 2. Desenvolvimento Guiado por Testes (TDD) Código limpo que funciona ou “Clean code that Works” [BECK, 2002], foi para alcançar este objetivo que o TDD surgiu. Um código será tanto mais limpo quanto melhor for sua arquitetura e menos erros ele tiver. Uma forma … Continue lendo 2. Desenvolvimento Guiado por Testes (TDD)

4.2.3 [XP] Simplicidade

4.2.3 Simplicidade O valor simplicidade é um dos mais sofisticados e importantes da XP. Ele procura sempre manter o projeto o mais simples possível, tornando-o ágil e maleável. Estudos de 1994 do Standish Group revelam que nas grandes companhias americanas, mesmo entre os poucos (9%) projetos que são entregues dentro do prazo e do orçamento, … Continue lendo 4.2.3 [XP] Simplicidade

3. Refatoração (última fornada)

3. RefatoraçãoÉ o processo de alteração de um sistema de software de modo que o comportamento observável do código não mude, mas que sua estrutura interna seja melhorada. É uma maneira disciplinada de aperfeiçoar o código que minimiza a chance de introdução de falhas. Em essência, refatorar é melhorar o projeto do código após este … Continue lendo 3. Refatoração (última fornada)

2.1. Desenvolvimento Dirigido por Testes

2.1. Desenvolvimento Dirigido por Testes Código limpo que funciona (ou “Clean code that Works”), foi para alcançar este objetivo que o TDD surgiu. Um código será tanto mais limpo quanto melhor for seu design. Uma forma de sempre ter código limpo que funciona, é utilizar o desenvolvimento fortemente guiado por testes automatizados que são escritos … Continue lendo 2.1. Desenvolvimento Dirigido por Testes