Desenvolvimento Ágil com Extreme Programming

(atualizado em: 09/01/2007) Desenvolvimento Ágil com Programação Extrema Finalmente estou publicando o conteúdo completo da minha monografia aqui no Blog. Considerando que o blog surgiu em função do estudo para este trabalho, e que a apresentação foi a uns 2 meses, realmente demorei tempo demais. Mas foi por um bom motivo. Acrescentei conteúdo novo e … Continue lendo Desenvolvimento Ágil com Extreme Programming

Anúncios

Qualidade (Princípio da XP)

3.3.12 Qualidadade (Princípio da XP) Maior qualidade significa menos defeitos e retrabalho, menos aborrecimentos e maior segurança para clientes e desenvolvedores, maior confiança, menos ansiedade, maior motivação, maior efetividade, maior produtividade e maiores lucros, entre outras coisas. Ou seja, maior qualidade significa gerar maior valor de forma mais simples e eficientes, e com menos custos … Continue lendo Qualidade (Princípio da XP)

Desenvolvimento Ágil x Tradicional – Resultados (Sucessos)

(atualizado em: 08/01/2007) Resultados do Desenvolvimento Tradicional Desde 1994, o Standish Group International publica a cada dois anos um estudo intitulado de Chaos Research [STANDISH, 2001] que consolida as informações de uma grande pesquisa sobre sucessos e fracassos dos projetos de software (figura 2.4). Neste estudo, os resultados dos projetos são enquadrados em uma das … Continue lendo Desenvolvimento Ágil x Tradicional – Resultados (Sucessos)

Processo iterativo e em espiral no mundo ágil

No desenvolvimento ágil, os projetos adotam o processo iterativo e em espiral (figura 2.5). No modelo espiral a dimensão radial representa o custo acumulado atualizado e a dimensão angular representa o progresso através da espiral. Figura 2.5 - Desenvolvimento iterativo em espiral No desenvolvimento ágil cada setor da espiral corresponde a um ciclo de desenvolvimento, … Continue lendo Processo iterativo e em espiral no mundo ágil

Benefício Mútuo (Princípio – 3)

Cada atividade deve ser benéfica para todos os envolvidos em um projeto de software. Este é o mais importante princípio da XP, e o mais difícil de cumprir. Há sempre soluções mais fáceis em que alguns ganham e outros perdem para qualquer problema. Apesar de tentadoras, principalmente quando as pressões externas são intensas, estas soluções … Continue lendo Benefício Mútuo (Princípio – 3)

Economia (Princípio – 2)

Para desenvolver software é preciso investir tempo e recursos. Este investimento é considerado satisfatório quando é compensado através do valor gerado, ou seja, quando o software satisfaz as expectativas de quem investiu nele. É um erro esquecer-se do lado econômico do desenvolvimento e preocupar-se somente com o “Sucesso Técnico” [BECK, 2005]. O cliente investe em … Continue lendo Economia (Princípio – 2)

Continuidade da Equipe (Prática Corolário – 3)

  Mantenha equipes eficientes juntas. Há uma tendência em grandes organizações de abstrair pessoas para coisas, como se pessoas fossem unidades de programação plug-and-play. Valor em software é criado não apenas pelo o que as pessoas conhecem e fazem, mas também por seus relacionamentos e o que elas realizam juntas [IMPROVE IT, XP]. Organizações pequenas … Continue lendo Continuidade da Equipe (Prática Corolário – 3)